Menu de Navegação de Páginas

A indústria nacional de vídeo games: Expansão e amadurecimento.

A indústria nacional de vídeo games: Expansão e amadurecimento.

Atualmente, o mercado nacional de vídeo games está passando por um período de expansão e amadurecimento jamais presenciado antes em nossa história.

Com certeza, este é o momento para tomarmos as decisões corretas e atuarmos de uma maneira positiva, pois os ventos estão favoráveis… Se apontarmos para a direção justa, levaremos a nossa indústria nacional a níveis de desenvolvimento antes só sonhados. Quando digo “nós”, estou me referindo a nós como desenvolvedores, consumidores, e políticos.

A nossa indústria vem se expandindo significantemente desde o início do ano 2000 segundo a Abragames (Associação Brasileira das Desenvolvedoras de Jogos Eletrônicos), pois até o final da década de 90, pouca coisa mudou no cenário brasileiro em relação à indústria, poucas empresas se formaram e não foram capazes de conquistar mercados.
Porém, nos últimos dez anos, muitas empresas surgiram e inúmeras iniciativas vieram à tona, tais como feiras, cursos, simpósios, etc… Este foi o período em que o nosso mercado nacional de vídeo games começou a tomar uma forma mais definida.

O mercado brasileiro ainda se encontra em estágio embrionário, isto significa que existem inúmeras barreiras a serem superadas e pilares a serem erguidos… Mas uma coisa é certa: a expansão e o amadurecimento desta indústria nacional está em nossas mãos!

Expansão e amadurecimento? Mas não seriam a mesma coisa?

… A resposta é “NÃO”. São duas coisas bem distintas, pois um mercado pode crescer, e ao mesmo tempo, não amadurecer. Então, tendo isso em consideração, eu diria que a indústria de jogos eletrônicos no Brasil começou a se expandir a partir do ano 2000 com o surgimento de várias empresas e o aumento da produção de jogos, mas o amadurecimento desta indústria se teve início alguns anos mais tarde, com a fundação da associação nacional Abragames em 2004, o surgimento de diversos cursos na área, o lançamento do BRGames (concurso de jogos lançado pelo Ministério da Cultura), a criação de feiras para consumidores, maior exposição na mídia, simpósios unindo indústria e academia, mostras de jogos, etc. Esses são, de fato, os sinais de amadurecimento da nossa indústria.

E para mim, o processo de amadurecimento de uma indústria chega a ser até mais importante que o seu próprio crescimento, pois uma expansão imatura está mais sujeita a sofrer rompimentos nas estruturas, já uma expansão acompanhada por um processo de amadurecimento, possui bases mais sólidas, o que oferece uma possibilidade muito menor de rupturas.

Então, acho que vale a pena falar um pouco mais sobre “processo de amadurecimento”, já que é algo vital para o desenvolvimento do nosso mercado…

O grau de amadurecimento é uma das primeiras coisas observadas pelas companhias internacionais quando estão planejando ingressar-se em um mercado. Essas companhias tomarão notas sobre as suas estruturas, as facilidades e dificuldades oferecidas, e o seu nível de amadurecimento.

Quanto mais sinais da existência de uma base concreta e organizada são observados, mais confiança e segurança serão inspiradas. É certo que não será possível escondermos problemas tais como a pirataria e um sistema precário de distribuição, mas se o mercado for capaz de demonstrar projetos e ações positivas para o combate desses problemas, oferecendo soluções válidas para minimizá-los, isto também contará muitos pontos ao nosso favor.

O que me deixa contente, e mesmo orgulhoso, é ver que a nossa indústria está começando a caminhar na direção justa, que existem muitas pessoas e empresas que acreditam nela, e que estão oferecendo apoios importantíssimos para o seu desenvolvimento.

Eu citarei aqui alguns exemplos mais recentes, os quais considero “marcos importantes” para o desenvolvimento da nossa indústria, pois representam o seu processo de amadurecimento:

Brasil Game Show
Este projeto teve início em 2008, e em 2010 foi o maior evento de games no Brasil, tendo o seu número de participantes triplicado em relação ao ano anterior, e teve a presença de companhias tais como Sony, Blizzard, Warner Bros, EA, Konami, Ubisoft, Codemasters, e Activision. O número de visitantes chegou a 20.000 nos dois dias de evento, e causou um tremendo impacto na mídia nacional e internacional.

Campus Party Brasil
Desde 2008, é o principal acontecimento tecnológico realizado anualmente no país. Nele são tratados os mais diversos temas, como por exemplo a internet, astronomia, design, fotografia, mídias sociais, robótica, simulação, software livre, e é claro, games! O evento reune anualmente um grande número de comunidades e usuários da rede mundial de computadores envolvidos com tecnologia e cultura digital, e a edição de 2011 contou com a presença de Al Gore (ex-vice presidente norte-americano), Ben Hammersley (editor especial da revista Wired), Steve Wozniak (co-fundador da Apple), entre outros grandes nomes.

ACI Games
A ACI Games (Associação Comercial, Industrial e Cultural de Games) foi criada em setembro de 2010 a partir do projeto Jogo Justo, e tem como finalidade representar e regulamentar a indústria e comércio dos jogos eletrônicos, e incentivar culturalmente a área dos games no país. A associação também tem como prioridade estimular o aperfeiçoamento e o cumprimento da legislação e estimular parcerias entre as empresas, governos e sociedade civil.

Quando fiquei sabendo do surgimento desta associação e do trabalho que ela está prestanto à indústria nacional de vídeo games, me senti muito orgulhoso, pois na minha opinião, a fundação da ACI Games e a criação do projeto Jogo Justo, são dois dos principais marcos do desenvolvimento da indústria nacional, portanto nós (desenvolvedores, consumidores, e políticos) devemos dar-lhes todo o apoio necessário!

Recentemente, a ACI Games anunciou o início da produção do CENJE (Cadastro de Empresas Nacionais de Jogos Eletrônicos), que terá a função de compilar informações do mercado de jogos eletrônicos e digitais em todo o território nacional e disponibilizá-las aos iniciantes e interessados em ingressar e constituir carreira neste meio.

Jogo Justo
Bem, como acabei de mencionar, este é um dos pontos mais significantes no processo de desenvolvimento da indústria de vídeo games nacional. O projeto Jogo Justo foi fundado em 2010 e visa diminuir o preço dos games, dos consoles e de seus periféricos, facilitando assim o acesso do consumidor final aos jogos, forma de cultura e entretenimento cada vez mais disseminada no mundo. Este processo trará desenvolvimento ao mercado nacional e possibilidade de mais produtoras se instalarem no Brasil, gerando, de forma gradativa, mais empregos no setor.

Atualmente, o jogo Justo recebe o apoio oficial de grandes varejistas tais como Walmart e o Ponto Frio, bem como desenvolvedoras, blogs, e outras organizações ligadas à indústria de vídeo games como Konami, Square Enis, EA, Blizzard Entertainment, THQ, Nintendo, etc.

Um outro sinal de amadurecimento que estamos presenciando no mercado brasileiro, é o número crescente de cursos especializados em produção de vídeo games. Este é um dos pontos mais importantes para a continuidade do desenvolvimento da nossa indústria, pois um processo bem estruturado de educação irá gerar profissionais qualificados e preparados, reforçando ainda mais as estruturas do mercado nacional.

Falarei um pouco mais sobre a importância de um sistema educacional especializado para a indústria de vídeo games, mas isto será em uma outra ocasião. Na próxima edição, estarei colocando em foco o outro lado da moeda, ou seja, os obstáculos que existem ao desenvolvimento da nossa indústria.

<

Gerson de Sousa – Colunista – “Coordenador de Compliance na Testronic Labs, e trabalhou anteriormente na Microsoft e SEGA como Especialista em Compliance. Possui 8 anos de experiência profissional na indústria de vídeo games na Inglaterra, e é formado em Digital Midia Production e Video Games Production pela University of The Arts London.” – Twitter @gerson_uk

Zêr Arnaldo

Atua na área de Geoprocessamento, é editor do Titan Games. Foi curador da área games da Campus Party, adora quadrinhos, fotografia, astronomia, sonhador como Julio Verne, fan do bom e velho rock ‘n roll. Sua meta é conhecer os quatro cantos do mundo, ou quem sabe ir para o alto, e para o infinito ! 🙂

Um comentário

  1. É bacana ver tambem que o governo incentiva em partes, a criação de empresas nesse ramo de games, antigamente quando se falava em games era sinonimo de ‘coisa de moleque’ ninguem levava muito a serio e hoje com o crescimento da internet e a expansão das informações muita coisa mudou.

    Parabens pelo artigo, traz coisas interessantes ligadas ao nosso cenario atual 🙂

Deixe o seu comentário, crítica ou sugestão !