Menu de Navegação de Páginas

BIG promove debate sobre a convergência entre os games e a televisão

BIG promove debate sobre a convergência entre os games e a televisão

Representantes de emissoras e empresas de tecnologia discutiram os limites e caminhos que integram as duas plataformas de entretenimento

Um debate sobre games e televisão, coordenado por Andre Mermelstein, da Tela Viva, abriu as atividades do BIG, primeiro festival de jogos independentes realizado no Brasil, nesta quinta-feira, dia 29, no auditório do MIS. Representantes da Gloob, Phillips, PlayTV e Tv Cultura expuseram seus projetos de apoio ao mercado de jogos digitais e discutiram os rumos e as possibilidades de o game vir a ter destaque na TV nacional. Compuseram a mesa de debates Artur Tillieri, representante do Cartoon Network, Eduardo Brandini, vice-presidente da TV Cultura e Luis Bianchi, representante da Philips Luciano Amaral, apresentador do programa MOK, da PlayTV e Luciane Neno, do recém-criado canal Gloob.

Para Luciano Amaral, “há cada vez mais percepção e aceitação por parte dos produtores de TV para com o crescente mercado de jogos. Segundo ele, um dos maiores desafios para a cobertura é adequar a linguagem dos games à da televisão”. O canal infantil Cartoon Network, por exemplo, apoia a produção de games no país através de investimentos no desenvolvimento de jogos. “Nosso site está no ar há mais de 10 anos oferecendo dezenas de jogos, inclusive de desenvolvedores brasileiros”, afirmou Artur Tillieri, representante da emissora no debate.

Luciane Neno, do Gloob, reconheceu o crescimento do mercado de jogos digitais no país e fez uma analogia com o público alvo de sua grade de programação: “os games podem atuar como uma ótima ferramenta de produção de conhecimento. Um jogo pode contar uma boa história e fazer com que a criança aprenda bons valores”. Sobre os investimentos, Luciane citou os 50 games disponíveis no website do canal e anunciou mais 50 até o ano que vem. Eduardo Brandini da TV Cultura, uma emissora com dois terços da programação voltada para o público infantil, também citou os games disponíveis no site oficial da empresa.

Representante da Phillips no debate, Luis Bianchi afirmou que a empresa tem games disponíveis em alguns produtos do portfólio e espera ainda mais investimentos para as SmarTVs. Para ele, com a nova tecnologia, “a TV deixa de ser apenas um monitor e passa a ser uma ótima oportunidade para desenvolvedores e demais profissionais que atuam no mercado”.

Sobre o BIG – Brazilian International Game Festival – Inspirado no Festival Independente de Games de São Francisco (IGF, o BIG visa fortalecer a produção independente de games no Brasil por meio da capacitação de profissionais, troca de experiências e intercâmbio de produtos, e se estabelecer como ponto de encontro e de referência para desenvolvedores de jogos nacionais e internacionais. A programação inclui atividades exclusivas para desenvolvedores iniciantes ou profissionais e outras abertas ao público, como a exposição, game play e votação de jogos participantes do festival. O BIG é realizado pela empresa brasileira Game, co-realizado pelo MIS e pela Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo, e patrocinado pela FundaçãoTelefonica e Vivo.

Serviço

BIG – Brazilian Internacional Game Festival
Data: 22 de novembro a 2 de dezembro
Local: MIS (Museu da Imagem e do Som de São Paulo)
Endereço: Avenida Europa, 158 – Jardim Europa, São Paulo – SP
Horário: das 12h às 22h (dias úteis) e das 11h às 21h ( fins de semana)
Entrada: gratuita
Mais informações: www.bigfestival.com.br

Zêr Arnaldo

Atua na área de Geoprocessamento, é editor do Titan Games. Foi curador da área games da Campus Party, adora quadrinhos, fotografia, astronomia, sonhador como Julio Verne, fan do bom e velho rock ‘n roll. Sua meta é conhecer os quatro cantos do mundo, ou quem sabe ir para o alto, e para o infinito ! 🙂

Deixe o seu comentário, crítica ou sugestão !