Menu de Navegação de Páginas

RioBotz/PUC-Rio é campeã de medalhas na RoboGames nos EUA

RioBotz/PUC-Rio é campeã de medalhas na RoboGames nos EUA

Com um ouro a mais do que em 2016, a RioBotz/PUC-Rio, equipe de robótica do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio), acaba de conquistar cinco medalhas de ouro, três de prata e uma de bronze na 13ª edição da RoboGames, realizada nos dias 21, 22 e 23 de abril, em Pleasanton, Califórnia (EUA). O total de medalhas reforçou o prestígio internacional da equipe, já que foi a que mais ganhou títulos entre os 300 competidores da RoboGames.

Repetindo o sucesso do ano passado, os humanoides Usain Volt, Spider Volt e Psy Volt foram os recordistas de medalhas para a equipe: cinco no total, sendo duas de ouro e três de prata, nas mais diversas categorias da competição. O Usain garantiu um ouro na prova de corrida e uma prata na subida de escadas. Já o Spider foi bicampeão na disputa em sumô e levou o segundo lugar em kung fu, e o Psy assegurou a prata com sua coreografia de dança na categoria Freestyle.

Neste ano, de todos os 300 competidores da RoboGames, a RioBotz/PUC-Rio foi a equipe que conquistou mais medalhas, com nove no total, sendo cinco de ouro, três de prata e uma de bronze

Entre os robôs movidos a energia solar, a equipe foi pentacampeã mundial na categoria Beam Photovore. Nela, o robô Invictus teve que desviar de obstáculos e chegar ao centro da arena, honrando sua fama de nunca perder e sair campeão, como faz desde 2012. Na categoria Solar Beam Speeder, a RioBotz também faturou o título, com o robô Apollo, que foi o mais rápido de todos.

A novidade desta edição ficou por conta da categoria Beetleweight Autônomo (1,3kg), em que o robô Mini Maloney+ foi ouro pela primeira vez. E, com relação aos robôs de combate, o Touro, tricampeão mundial da RoboGames em 2007, 2013 e 2015 e da Combots em 2011, levou o bronze pelo segundo ano consecutivo na categoria Middleweight (54kg).

A RioBotz compete na RoboGames desde 2006 e nunca voltou sem medalhas. Nas 11 edições em que esteve presente, já contabilizou 62 delas, sendo 31 de ouro, 16 de prata e 15 de bronze. “Apesar do quarto lugar, o Touro Maximus, nosso Heavyweight de 100kg, foi a sensação da transmissão do Twitch (site de streaming de vídeos em tempo real), com umas das lutas mais emocionantes do torneio, quando ganhou por nocaute pela primeira vez da lenda Sewer Snake, diversas vezes campeão na RoboGames. Infelizmente, na disputa pelo terceiro lugar, apesar de estarmos ganhando contra o Whiplash, o Maximus ficou preso na borda da arena e não pudemos continuar a luta. De qualquer forma, estamos orgulhosos pelo total de medalhas que ganhamos. Todo ano é um grande aprendizado para os alunos e novos desafios para a construção e reforma dos robôs”, reforça Meggiolaro.

Estreia na TV Brasileira

No próximo dia 28 de abril, a RioBotz/PUC-Rio estreia na TV brasileira. A partir das 20h30, no canal Discovery Turbo, começa a segunda temporada da batalha de robôs BattleBots, originalmente veiculada em 2016 no canal ABC, da TV aberta norte-americana. A RioBotz/PUC-Rio construiu exclusivamente para a competição o robusto Minotaur, de 113kg. Seguindo a linha clássica de seus robôs da família Touro, o robô ganhou um tambor dourado como uma arma destruidora, que pode rodar a 10 mil RPMs e jogar adversários longe e para o alto. A equipe carioca entra para a história da competição — que chegou a 3,5 milhões de espectadores nos EUA — ao ser o primeiro time de país de língua não-inglesa a participar da série de batalhas.

Esta segunda temporada da BattleBots conta com 48 equipes com robôs da mais alta categoria de combate. “É a mais importante competição da qual já participamos em 14 anos. Há equipes patrocinadas pela Nasa, Space X e diversas empresas do Vale do Silício, além de campeões do Reino Unido, Canadá e Austrália. Por esse motivo, o desafio é gigantesco e uma honra competir com os melhores do mundo”, revela Meggiolaro.

O Minotaur, de 113kg, foi construído exclusivamente para a BattleBots.

O programa vai ao ar sempre às sextas, às 20h30, com reexibição aos sábados, às 13h, e aos domingos, às 18h50.

Sobre a RioBotz/PUC-Rio

A RioBotz/PUC-Rio foi formada em janeiro de 2003 com o objetivo de projetar e construir robôs de competição. Em 14 anos de muitas batalhas, a equipe já contabilizou 70 títulos, sendo 35 campeonatos nacionais e 35 medalhas de ouro em competições ao redor do mundo. Outras 68 medalhas são a soma de 38 pratas (21 delas internacionais) e 30 bronzes (21 internacionais), totalizando 138 medalhas.

A equipe é composta atualmente, em sua maioria, por alunos das Engenharias de Controle e Automação, Mecânica e Elétrica. Segundo Meggiolaro, participar de uma competição deste porte é um estímulo para os estudantes. “A Robótica é uma ciência multidisciplinar que fornece bases para a aplicação de diversas engenharias, dentre elas a Elétrica, Mecânica e de Computação. O aluno aprende um pouco sobre todas essas áreas e, principalmente, como integrá-las. No mercado atual, dificilmente se encontra um produto de alta tecnologia puramente mecânico ou elétrico: todas essas engenharias são importantes para a geração de um produto competitivo”.

Os integrantes da RioBotz têm a possibilidade de adquirir conhecimentos em áreas como mecânica, eletrônica, computação, publicidade, marketing, design e captação de recursos, além de utilizar na prática os conhecimentos obtidos em sala de aula. Embora seu foco seja a construção de robôs de combate, as tecnologias envolvidas podem ser aplicadas em diferentes setores como a indústria de energia, petróleo e médica.

Zêr Arnaldo

Atua na área de Geoprocessamento, é editor do Titan Games. Foi curador da área games da Campus Party, adora quadrinhos, fotografia, astronomia, sonhador como Julio Verne, fan do bom e velho rock ‘n roll. Sua meta é conhecer os quatro cantos do mundo, ou quem sabe ir para o alto, e para o infinito ! 🙂

Leia também:

Deixe o seu comentário, crítica ou sugestão !